sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Poesia à solta


O meu papel branco

Escrevo poemas sem pensar
E na minha mente os tenho
Gosto de poesia, e não penso desgostar
E o que faço, faço com empenho.

Apenas sou um puto alegre
Que se quer divertir
Cantando poemas
Que estão por descobrir.

Pego no meu papel branco
E aí posso escrever
É disto que eu gosto!
E ninguém me pode deter!

Não precisam dizer que gostam,
Nem tão pouco sintam pena,
É que agora já não sei bem,
Se isto é uma canção ou um poema!

Mas um poema é uma canção,
Já não me estava a lembrar
Sr. Professor ensine-me novamente
Para que não me volte a enganar.

Sérgio Turíbia, 8º A

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Um livro novo para cada novo leitor



No primeiro dia de aulas, ganhámos um livro, oferta do Ministério da Educação. Chama-se O piquenique do Tomás.

A professora Maria José leu a história e nós adorámos. Os desenhos também são muito bonitos.

Ana Grilo, João Carapeto, João Neves e Luís Reixa, 1º A

Prémio Dr. Amável Soares da Silva

No dia 5 de Outubro, a nossa Biblioteca foi, mais uma vez, palco para a entrega do Prémio Dr. Amável Soares da Silva.
André Filipe Conchinha, do 9ºA, e Leonor Andrade, do 7º B, distinguiram-se, durante o ano lectivo anterior, quer pelo seu desempenho escolar, quer pelas suas inegáveis qualidades humanas.
Parabéns aos laureados!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Apresentação da obra “Dicionário de Ditados (Provérbios) e Frases Feitas"


No próximo dia 26 de Setembro, 6ª feira, pelas 17h, na Biblioteca Municipal Laranjo Coelho,terá lugar a apresentação da obra Dicionário de Ditados (Provérbios) e Frases Feitas.

Da autoria de Deolinda Milhano - Professora de Português/ Francês e investigadora no campo da etnografia, natural do distrito de Portalegre - esta obra foi editada recentemente, com a chancela da Editora Colibri.

Para que não se percam saberes ancestrais com valores e significados sempre actualizados do ponto de vista da nossa língua, tanto na forma como no conteúdo, a autora reuniu nesta obra aproximadamente 24.000 ditados "Frases que sintaxicamente encerram verdadeiras lições de filosofia adaptadas às circunstâncias das nossas vivências. (José Branquinho)

De volta...



Ano lectivo 2008 - 2009

Mais um ano lectivo que começa… e tanto trabalho que se perspectiva!
A equipa da Biblioteca Escolar dá as boas-vindas aos alunos, professores, funcionários e a toda a comunidade educativa e informa que está disponível para trabalhar com e para todos vós.



Alguns dos nossos objectivos são:
. Criar e manter nos alunos o hábito e o prazer da leitura;
. Desenvolver a autonomia dos utilizadores na BE/CRE;
· Disponibilizar à população, um espaço que possa ser, simultaneamente, um local de aprendizagem e de lazer/prazer;
· Ser um pólo difusor de cultura;
· Envolver nos nossos projectos as várias estruturas do agrupamento: Conselho Geral Transitório, Conselho Pedagógico, Departamentos, Conselhos de Turma e pessoal não docente;
· Desenvolver a cooperação com a Associação de Pais e Encarregados de Educação.

Para cumprirmos estas metas contamos com todos!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Balanço e agradecimentos


Nª de documentos consultados (livros) - 269

Nª de documentos consultados (não-livros) - 36

Classes (CDU) dos documentos mais consultados
1º - 8 Língua. Linguística. Literatura (41,8%)
2º - 0 Generalidades (34,9%)
3º - 5 Matemática e Ciências Naturais (5,5%)

Nº de utentes
Alunos – 118
Professores – 19
Funcionários – 6

Nº de requisições para aulas

36 requisições, correspondendo a 180 documentos

Conclusões

Ø O número de documentos (livro) consultados aumentou, em relação ao 1º período;
Ø O número de documentos (não-livro) consultados também aumentou, em relação ao 1º período;
Ø O número de utentes-alunos aumentou, progressivamente, ao longo do ano;
Ø O número de utentes-professores aumentou no 2º período, mas decresceu no 3º; em contrapartida, o número de requisições para aulas aumentou significativamente;
Ø O número de utentes-funcionários triplicou, em relação ao início do ano.

A equipa da BE agradece a todos os que participaram nas actividades desenvolvidas ao longo do ano e deseja umas boas férias, com muitas leituras... nem que seja um poema...

UM POEMA
Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...
Miguel Torga

domingo, 22 de junho de 2008

Ateliê de poesia na Biblioteca Municipal

O passado dia treze de Junho foi algo diferente para os alunos da nossa escola. O sétimo A e os sétimo e oitavo B tiveram a oportunidade de participar num atelier dedicado à leitura e à escrita do texto poético. Como dinamizador da acção esteve Filipe Lopes, escritor e contador de histórias. Vindo de Tomar, animou os alunos presentes na Biblioteca Municipal com a leitura de poesias variadas. No final, houve tempo para um pequeno exercício escrito de criação poética, que teve a colaboração de todos os alunos presentes. Eis o resultado:

Não há sombra no terraço
Porque o Sol parece aço
Ninguém o via, ninguém o sentia,
Ninguém o comia

Tenho sede de voar
Para não acabar
Sem fim, dura na eternidade
Com o máximo de electricidade

Sou uma árvore sem folhas,
Um horizonte sem bolhas
Uma flor sem pétalas secas
Com sombras pretas
7º B

Trago ideias no meu bolso
Para pensar no que eu quero
Saltou-me o caroço
E agora desespero


Numa bela manhã de calor
Chegou o marido a casa
Que estava com muito rancor
Jogou a esposa pela escada

Um gelado de chocolate
É um sabor natural
Com sabor de abacate
É um bagacinho infernal

7º A e 8º B

domingo, 15 de junho de 2008

Visita dos alunos do 4º ano à exposição



No dia 12 de Junho, a turma do 4ºB foi visitar a exposição "A Matemática e a Arte", que tinha trabalhos muito interessantes. Vimos trabalhos muito coloridos e aprendemos que, com a Matemática, podemos fazer muitas coisas bonitas.
Gostámos de fazer dobragens (origamis), construções e sólidos geométricos.
Aprendemos e foi divertido!

Alunos do 4ºB

sábado, 14 de junho de 2008

Frase do mês de Junho

“Vencedor não é aquele que chega sempre em primeiro lugar, mas aquele que sabe que deu o melhor de si.”
Anónimo
Alunos de EMRC - 7ºA

terça-feira, 10 de junho de 2008

O 1ºA e o 2ºA visitaram a exposição

Visita dos alunos do Pré -Escolar à exposição "A Matemática e a Arte"



Os alunos do Pré -Escolar visitaram a exposição "A Matemática e a Arte" e divertiram-se muito. Ouviram a história A Aventura dos Números, colaram borboletas e peixinhos nos painéis, fizeram actividades e jogos de Matemática, aprenderam a fazer animais e casas em origami e ganharam bombons e marcadores de livros.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Exposição "A Matemática e a Arte"



“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.”
Fernando Pessoa

Porque é de um sonho que se trata! Um sonho antigo, de alguém que nunca dominou o complexo mundo dos números, mas que sempre quis mostrar a beleza e a utilidade da Matemática, a sua relação com a Arte, com a Ciência…enfim, com a Vida.
No início do ano lectivo, a Equipa da BE/CRE lançou o desafio a toda a comunidade escolar: departamentos e clubes, todos os níveis de ensino, todas as escolas do Agrupamento…
A resposta foi imediata, muito variada e de grande qualidade:
Trabalhos com números e formas geométricas, realizados pelas turmas A e B do Pré-Escolar (Educadora Margarida Morão e Educadora Carmo Mimoso);
Trabalhos com simetrias, formas geométricas e números, elaborados pelos alunos do 1º ciclo das Escolas de Castelo de Vide e Póvoa e Meadas, orientados pelas respectivas professoras.
Desenhos com números e símbolos matemáticos feitos pelos alunos de 5º e 6º ano, nas aulas de E. V. T. e pelos alunos do Clube de Artes (Professores Ana Eustáquio, José Paralta e Matilde Marmelo);
Biografias de matemáticos famosos, realizadas pelos alunos do 6º B, em Área de Projecto (Professoras Carla Eustáquio e Teresa Matos);
Poemas que os alunos do 6º A e B produziram nas aulas de Língua Portuguesa, inspirados na obra Pequeno Livro de Desmatemática, de Manuel António Pina (Professora Carla Eustáquio);
Origami feito pelos alunos do Clube de Matemática (professores João Cunha e Joaquina Batista);
Fotografias de objectos, monumentos e símbolos, com formas geométricas, no âmbito do Clube de Fotografia (Professor Joaquim Loução);
Trabalhos sobre a vida e obra de Escher, dos alunos do 8ºA (Percurso Curricular Alternativo) orientados pela professora Elsa Lourenço;
Textos sobre a história do Origami e trabalhos utilizando essa técnica, contributo da professora Eva Parrano;
Ateliês de Origami e ateliês de construções com Polidron, dinamizados pelo Clube de Matemática, destinados aos alunos visitantes.
Apoio técnico, duplicação de documentos e colaboração na montagem - funcionários Lucinda Soares, António Nunes, José Carlos Tarouco e Trindade Lopes.
A Equipa da BE/CRE agradece a inestimável colaboração prestada ao longo de todas as fases de planeamento, concretização e montagem da exposição, a todos os que contribuíram com trabalhos, e, em particular, ao Conselho Executivo, que acolheu o projecto com entusiasmo e à Câmara Municipal, pela cedência das vitrinas. Salienta, mais uma vez, a grande qualidade, variedade e criatividade dos trabalhos apresentados. É de realçar, igualmente, a importância pedagógica desta mostra, que testemunha a articulação, não só entre diversas áreas curriculares, como também entre ciclos, envolvendo alunos e professores num objectivo comum.
Fernanda Silva Cunha
A coordenadora da equipa da BE/CRE

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Exposição "A Matemática e a Arte"


Oferta dos alunos do 5ºA



Os alunos da turma A do 5º ano participaram no concurso de desenho infantil "Em nome da Terra", promovido pela OVIBEJA.
Todos ganharam diplomas de participação, tapetes de "rato" e um "passarinho" de barro.
Foi também enviado um livro um livro de fotografias da OVIBEJA que os alunos ofereceram à BE/CRE, numa pequena cerimónia.
Os alunos do 5ºA

terça-feira, 20 de maio de 2008

Poemas da Mentira e da Verdade

Os alunos das Turmas turmas A e B do 5ºano trabalharam a obra Poemas da Mentira e da Verdade de Luísa Ducla Soares.
No dia 14 de Maio, apresentaram os seus trabalhos na BE/CRE.
Estas actividades foram realizadas no âmbito do Plano Nacional de Leitura.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

A frase do mês de Maio

“O génio é composto por 2% de talento e 98% de perseverante aplicação.”
Ludwig Van Beethoven
Alunos de EMRC - 7ºA

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Há pequenos artistas entre nós...



Depois de verem a exposição de Cristina Malaquias, os meninos da sala B do Pré-Escolar decidiram mostrar os seus dotes artísticos.Parabéns aos pequenos pintores!!

Nota: Lamentamos o facto de, por motivos meramente técnicos, não ter sido possível incluir 3 trabalhos no slide. Pedimos desculpa aos seus autores.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

E os vencedores são...

Os vencedores do concurso A página perdida foram Diogo Chaves do 5º A e Madalela Barreiros do 5º B.
Parabéns!!

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Exposição de aguarelas de Cristina Malaquias





Entre os dias 28 de Abril e 2 de Maio, esteve, na nossa escola, a exposição de Cristina Malaquias, ilustradora de algumas obras de António Torrado. A comunidade escolar teve a oportunidade de apreciar algumas aguarelas da artista e de ler as histórias de António Torrado, que se podem encontrar em http://www.historiadodia.pt/ . Este projecto é promovido pela Associação de Profissionais de Educação do Norte Alentejo, em parceria com o escritor António Torrado. Neste endereço é possível ler uma história diferente todos os dias, ilustrada por Cristina Malaquias.

O 25 de Abril visto pelos alunos das turmas A e B do 6.º Ano

Além da exposição «João Apolinário, poeta-cronista do seu tempo» (poeta, jornalista e anti-fascista), a BE/CRE e os alunos do 6º ano A e B homenagearam os Capitães de Abril, com duas apresentações em PowerPoint sobre o Salazarismo e A Revolução de 25 de Abril de 1974.
Estas apresentações decorreram no dia 28 de Abril, no átrio de acesso à biblioteca.
Parabéns aos alunos destas turmas e à professora Maria Luiza Vasconcellos pelo excelente trabalho!

Exposição «João Apolinário, poeta-cronista do seu tempo»



Também para assinalar o Dia Mundial/Internacional do Livro, foi inaugurada a exposição "João Apolinário, poeta-cronista do seu tempo". Esta exposição, que foi visitada por alunos de todos os níveis de ensino, mostrava poemas, livros e fotos deste poeta, ensaísta e jornalista anti-fascista.



A Luta Necessária

É preciso avisar toda a gente
Dar notícia informar prevenir
Que por cada flor estrangulada
Há milhões de sementes a florir

É preciso avisar toda a gente
Segredar a palavra e a senha
Engrossando a verdade corrente
De uma força que nada detenha

É preciso avisar toda a gente
Que há fogo no meio da floresta
E que os mortos apontam em frente
O caminho da esperança que resta

É preciso avisar toda a gente
Transmitir este morse de dores
É preciso imperioso e urgente
Mais flores mais flores mais flores

João Apolinário
In Morse de Sangue
Porto
1955

Dia Internacional do Livro



Ler, ler mais, sempre mais...
Entrar num livro e lutar contra os moinhos; mergulhar noutro e desbravar a selva amazónica; pegar noutro e passear pelo bazar e ruas de Istambul; escolher outro e relembrar os dilemas e as incertezas da adolescência...
É tudo isto (e muito mais!) que podemos encontrar nos livros.
Por isso, no Dia Mundial/Internacional do Livro que se comemora a 23 de Abril, a BE/CRE propôs estas leituras. Leituras de outras terras,outras cores, cheiros e sabores...

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Entre o Cartaz e a Parede...

Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso! E eu vos direi no entanto
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
(E conversamos toda a noite..).

Miguel Torga, in A Criação do Mundo – O Quarto Dia

Poema dedicado aos alunos do 7º A e B que, pacientemente, me ouviram pregar sobre Pedro e “A Estrela”.
















- Mais para cima! Naaão!, prá direita!!!!!
E eu, empoleirado numa cadeira que me dava vertigens – sempre fui pouco dado a alturas, mesmo às mais diminutas! - de costas voltadas e nariz colado na parede, com os braços dormentes a pedirem piedade, continuava a seguir as indicações da professora Fernanda:
- Já está? – balbuciei, quase num tom de quem está para desfalecer.
- Ó Gilberto, agora deixaste descair demais. Sobe, sobe... assim, aí mesmo! Aí é que é! Ai essa tua falta de jeito! Francamente! Vá, não te mexas agora. Nem penses em baixar os braços!
Com a mesma postura de um assaltante apanhado em flagrante pela polícia, esperei que a professora Fernanda, numa rapidez demorada, sentenciasse com um pin o último cartaz, crucificando-o em definitivo, qual soldado romano.
- Olha, está ali um trabalho com a vida e obra de Miguel Torga; adoro Torga ! – revelou a Fernanda.
- Curioso, – disse eu - também é um dos meus poetas preferidos! Estou surpreendido que também gostes!
- Pois fica sabendo que aprecio muito a poesia de Miguel Torga. Tem palavras de grande beleza! Ficam-me na alma as frases simples e intensas que tem sobre a terra e o sentido que procura para a vida. Parece que faz parte de todas as coisas, entrando nelas. Mas também gosto do Diário e da Criação do Mundo – respondeu a minha colega. E sem que eu tivesse tempo para intervir, a minha colega fez questão de deixar claro que aprovava totalmente que um dos alunos se tivesse lembrado do poeta transmontano. Que Torga andava meio esquecido e a sua escrita mal aplaudida, lá isso andava!!! Eu também estava perfeitamente de acordo! Na verdade, a Literatura não deveria ser vista como uma mera passagem de modelos.
- Pois, as modas também chegam à literatura. Algumas pessoas, às vezes, quando pegam em alguma coisa para ler, procuram o “chique” e o que está na berra. Só porque fica bem andar a ler o autor X ou Y. – lamentei.
- Olha lá, tu é que podias dar Miguel Torga na unidade do texto poético! – atirou, sem hesitar, a Fernanda.
- Boa, a poesia vai ser a matéria que se segue; talvez peça aos miúdos que declamem uns poemas dele! – disse eu, já a tentar fermentar ideias.
- E podíamos...
<<<>>... a nossa “amiga” campainha tornou a ditar a sua lei, de forma irritante, e não deixou que se ouvisse a frase que a professora Fernanda tinha guardada. Aposto que lhe ia sair algo mais da manga.
Mas nem tudo se perdeu: desta vez não houve correrias, barulhos ou voragem. Nem mesmo leites achocolatados interrompidos, ou bolos deliciosos a serem mastigados, a caminho do seu destino. Pelo contrário, dirigimo-nos os dois calmamente para as salas, certamente a pensar que Miguel Torga, desta vez, não ficaria só na exposição dos cartazes de autores do sétimo A.
- Até logo, Gil!
- Xauzinho, Fernanda. Boa aula!
Professor Gilberto Rocha

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Concurso «A página perdida»

Vai à biblioteca, lê o texto que está exposto e, de entre os livros seleccionados, descobre a que obra pertence a página perdida.
Assim que descobrires, clica em Comentários, no fim deste post, e dá a tua resposta.
Concorre já!!

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Escritores de Língua Portuguesa na nossa biblioteca

Os alunos do 7ºB realizaram pesquisas sobre alguns autores que escrevem no nosso idioma. Os trabalhos, realizados no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, estão expostos na biblioteca.



sexta-feira, 4 de abril de 2008

Poema



























O 9º A inspirou-se em “Nocturno”, de David Mourão-Ferreira, para produzir em conjunto este poema que ofereceu à BE, durante a Semana da Leitura.

Variações sobre um “Nocturno”

Era, nos meus olhos, o espelho dos teus.
Era, na solidão, o meu coração a abrir-se.
Era, na escuridão, a sombra das lágrimas perdidas.
Era, na noite escura, a censura.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

Era, no fundo de uma rua, que soavam os passos.
Eram, num rio estreito, barulhos barulhentos.
Era, no estádio, barulhos de emoção.
Era, na noite assombrada, que eu ouvia o teu coração.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

Eram, naquela calçada escura, os passos audíveis.
Eram, na virtude do pensamento, mil ideias que surgiam.
Era, numa noite linda, uma lua a brilhar.
Era, nos teus olhos, o reflexo da solidão.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

Era, nas minhas lágrimas secas, a profunda dor de não te ter.
Era ver, sem ter olhos.
Era, no fim, mais uma vida acabada.
Era, pelo mundo, apenas mais uma passagem.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

Era, no oceano profundo, o grito de fundo.
Eram, em sonhos profundos em vão, palavras escurecidas no meu coração.
Era, na erva pura, uma vaca a comer, o sol a nascer.
Era, na aldeia escura, o som da água a correr.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

Era, no céu brilhante, um planeta vazio.
Era, no brilho dos teus olhos, o teu sorriso contente.
Era, nessa noite de Verão, sentir o meu coração.
Era, no planeta escuro, que não se via o futuro.

Era a noite mais quente deste Verão.
Era a certeza de ficar sem ti.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

A frase do mês de Abril

“Jamais desesperes, mesmo perante as mais sombrias aflições da tua vida, pois das nuvens mais negras cai chuva límpida e fecunda.”
Provérbio chinês

Dia Internacional do Livro Infantil




O Dia Internacional do Livro Infantil comemora-se a 2 de Abril, data do nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

PARA O DIA 2, A EQUIPA DO CENTRO DE RECURSOS SUGERE AOS PAIS:

Leve o seu filho a uma livraria e ofereça-lhe um livro;

 Leve o seu filho à Biblioteca Municipal e ajude-o a requisitar um livro adequado à sua idade;

 Leia-lhe um livro ou conte-lhe uma história e...boas leituras!

terça-feira, 1 de abril de 2008

Sugestão de Leitura


O Senhor Ibrahim e as Flores do Corão,de Eric Emmanuel Schmitt


Quem não ouviu já o provérbio “Quem vê caras não vê corações”?
Tal princípio podemos aplicar quando pegamos num livro que não é conhecido como um “best-seller”, ou que alguém nos diz que gostou, e não nos parece despertar qualquer interesse!
Vou falar sobre um dos últimos livros que li, e me surpreendeu logo que folheei algumas das suas páginas, O Senhor Ibrahim e as Flores do Corão, que conta a história de Moisés, mais conhecido por “Momo”, um menino judeu de 12 anos, que viveu em Paris, nos anos 60.
Momo partilha connosco a história da sua infância, fruto de uma educação muito rígida de seu pai, um advogado judeu, desprovido de amor, que não tinha amigos e que via as pessoas com desconfiança e desprezo, que tinha no filho o seu escravo e que o estava sempre confrontando com a perfeição de seu irmão mais velho (inexistente, mas fruto da imaginação de seu pai).
Um dia começa uma grande amizade com o Senhor Ibrahim, o merceeiro da rua, que apelidado de árabe, era apenas muçulmano, um homem reservado, que vivia também na solidão da sua viuvez, e fez com que Momo visse nele a figura de um pai que lhe ensina como é o amor, o sorriso, a beleza do Mundo e da Vida.
Abandonado por duas vezes: quando nascera, pela mãe; e ao chegar à adolescência, pelo pai, que depois se suicidou, e lhe assombrava a vida; foi o Senhor Ibrahim que lhe contou que seu pai perdeu os pais quando era muito novo, que foram apanhados pelos nazis e morreram nos campos, e que talvez por isso nunca tenha conseguido ser feliz.
Momo foi ter com o Senhor Ibrahim e disse-lhe a brincar:
“Então, quando é que me adopta?”
E este respondeu, divertido.
“Mas meu pequeno Momo, já amanhã, se quiseres!”
E foi então o culminar de uma grande amizade (de pai e filho), com uma delicadeza e uma subtileza emocionantes, que acaba com uma história doce até a morte os separar, e ao mesmo tempo fazer de Momo um homem corajoso, que mostra que a amizade e o afecto não têm religião, raça ou continente.

(Vicência Boto – 12º ano)

quinta-feira, 20 de março de 2008

A BE/CRE deseja uma Páscoa com boas leituras!


Cartaz elaborado pelos alunos de Educação Moral e Religiosa Católica.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Astronomia na BE/ CRE





Nos dias 13 e 14 de Março esteve patente, na nossa biblioteca uma exposição,dinamizada pelo do Clube de Astronomia da nossa escola.O professor Acácio Lobo, responsável pelo referido clube, mostrou vários instrumentos utilizados na observação dos astros e explicou como funcionavam.
Também estiveram expostos trabalhos realizados pelos alunos e documentos, existentes na BE, relacionados com o tema.

Semana da Leitura dos mais pequenos

Semana da Leitura - Interculturalidade




Como nestas turmas há alunos de vários países, como Ucrânia, Brasil, Noruega, Índia, Holanda, Bélgica e China, pensámos em escrever sobre o tema Interculturalidade.
As professoras deram a ideia para o trabalho; demorámos algum tempo a fazê-lo, porque era muito difícil.
Procurámos informação sobre: história, monumentos, gastronomia, desporto e música desses países.
Encontrámos muitas coisas completamente desconhecidas, tal como os belos monumentos da Ucrânia, diferentes dos nossos.
Foi tudo muito divertido e todos nós gostámos muito deste trabalho elaborado pelas turmas de 5º e 6º anos.

Daniela Marques e Soraia Santos (5ºA)

Semana da Leitura - Papagaios com Poemas dos alunos do 8ºA



Os alunos do 8º A ofereceram à BE/CRE os papagaios decorados com poemas elaborados por eles, durante a Semana da Leitura.

Semana da Leitura - Exposição Venda "Comércio Justo"